Por que converter Flash para HTML5 é o melhor para o aprendizado online

Tempo de leitura: 17 minutos

O Adobe Flash está morto. HTML5 é o novo padrão de facto para criar e distribuir conteúdo online. Mas como essa enorme transformação aconteceu com as soluções de eLearning? E por que você deveria considerar converter Flash para HTML5, se ainda não o fez? Encontre suas respostas aqui.

Créditos: Freepik

Por que HTML5 é melhor que Flash para o eLearning?

O início da década de 2020 marcou o fim do Adobe Flash, uma tecnologia outrora poderosa que transformou o conteúdo interativo na internet por quase duas décadas. Mas o que levou à morte do Flash? Como as soluções de eLearning estão lidando com isso? E como você pode aproveitar ao máximo a conversão de Flash para HTML5 para soluções de eLearning?

Volte para a internet do início dos anos 2000 e você encontrará Flash em todos os lugares. Jogos, animações, desenhos, streaming de vídeo, design, desenvolvimento — tudo o que tornou a internet divertida nas últimas duas décadas teve algo a ver com o Adobe Flash. Foi a tecnologia mais proeminente da época que trouxe multimídia para todos os desktops. Mas todas as tecnologias têm um ciclo de vida, e o do Flash terminou em 2020.

A morte de Flash é evidente. Ele foi superado por tecnologias como JavaScript e HTML5, que melhoraram além das capacidades do Flash e ofereceram muito mais potencial. Sem mencionar que o Flash se tornou um enorme risco de segurança no final.

Mas assim como a internet de 2022 não pode imaginar o fim da IA, 5G ou Blockchain, o fim do Flash foi uma surpresa (e um choque) para muitos. Ainda hoje, você encontrará a web repleta de perguntas sobre a conversão de Flash para HTML5 no ambiente de aprendizado ou desenvolvimento online. Algumas delas são:

  • Existe alguma forma de continuar usando o Flash?
  • Como o HTML5 é melhor que o Flash?
  • Como será o futuro do aprendizado online com HTML5?
  • Como funciona a conversão de Flash para HTML5?

Primeiro um pouco de história

O FutureSplash Animator, criado em 1996, foi comprado pela Macromedia e renomeado Macromedia Flash em 1997. A Adobe Systems adquiriu a Macromedia em 2005 e renomeou e relançou o programa Flash como Adobe Flash CS3 Professional, que:

  • Tornou-se amplamente popular no final dos anos 1990 e início dos anos 2000.
  • Criou uma experiência de usuário semelhante em Mac, Linux e Windows.
  • Permitiu que todos os tipos de multimídia online fossem reproduzidos em uma área de trabalho.
  • Deu origem a toda uma indústria de animações e jogos.
  • Foi usado por quase 29% de todos os sites na rede mundial de computadores em 2011.
  • Foi usado exclusivamente pelo YouTube durante os primeiros cinco anos de sua vida, quando esse era um serviço de streaming baseado em Flash.

Quando o Flash ganhou popularidade, o JavaScript estava em sua fase inicial de desenvolvimento. Ele ainda não estava em forma para permitir aos usuários e desenvolvedores a liberdade que o Flash lhes deu com suas restrições mínimas. À medida que tecnologias como JavaScript e HTML5 ganharam mais atenção e superaram os recursos do Flash, elas se tornaram a alternativa e, lentamente, a melhor escolha, porque:

  • São código aberto e, portanto, livre para usar.
  • São mais otimizadas.
  • São mais fáceis de implementar.
  • Têm um custo geral menor para o desenvolvimento.
  • São mais flexíveis.

Ao mesmo tempo, a frequência dos crimes cibernéticos aumentou. Como resultado, os problemas de segurança no Flash que antes eram ignorados ou tolerados em troca de uma melhor experiência na Web tornaram-se avisos estridentes e provaram ser capazes de prejudicar as empresas de forma irreparável. Em 2021, a participação de sites baseados em Flash caiu para 2,2%.

A Adobe anunciou o fim da vida útil do Flash em 2017. Ela encerrou todo o suporte oficial para Flash em 31 de dezembro de 2020 e desligou o Flash Player em 12 de janeiro de 2021. Hoje, sem suporte ativo para Flash, HTML5 é considerado o de facto para desenvolvimento na web e soluções de eLearning. A conversão de Flash para HTML5 permitiu que empresas em todo o mundo preservassem seu conteúdo enquanto deixavam de ser baseadas em Flash.

Por que a Adobe matou o Flash?

Por que o Flash acabou? Provavelmente foi por causa do enorme, brilhante e ardente sinal vermelho de “perigo” que ele se tornou.

  • O Flash sempre foi inseguro no design.
  • Seu conteúdo foi projetado com os cliques do mouse em mente, não o mundo dinâmico dos celulares.
  • Golpes de pop-up, malware instalador, vírus de jogador — não há fim para os problemas causados ​​pelo Flash.
  • Flash não é suportado nativamente em nenhum dos maiores navegadores. Requer uma instalação de plug-in para funcionar corretamente.

Os aspectos de segurança do Flash não estavam preparados para lidar com um mundo onde as ameaças cibernéticas são uma indústria do crime organizado que vale bilhões.

Basicamente, o HTML5 (simples, fácil, de código aberto e otimizado) tornou o desenvolvimento de conteúdo criativo na web mais limpo, e o uso de Flash foi reduzido à medida que a maioria da internet mudou para ambientes móveis. É provavelmente por isso que a Adobe teve que matar o Flash.

Então o suporte para Flash terminou. Ainda podemos usá-lo?

Existe uma maneira de ainda usar soluções de eLearning baseadas em Flash? sim. É seguro? Prescrito? Recomendado? Não mesmo!

A relutância em adotar a conversão de Flash para HTML5 para seu conteúdo é compreensível. Apesar de suas falhas, o Flash era conveniente por muitas razões para muitos usuários. Nesse espírito, aqui está a única maneira que você ainda pode usar o Flash:

  1. Baixe uma versão mais antiga de qualquer navegador da web.
  2. Bloqueie todas as atualizações automáticas no navegador.
  3. Adicione o plug-in do Flash player.
  4. Reproduza o conteúdo.

Ou baixe um Flash Player para desktop (como o FlashPoint) e use-o para reproduzir o conteúdo Flash baixado, onde quer que você o encontre. Mas, não faça isso!

Se você optar por executar o conteúdo Flash dessa maneira, estará essencialmente criando um ambiente que alimenta as violações, acolhe malware e convida todos os tipos de ameaças cibernéticas ao seu sistema. Seu navegador não tem como proteger a si mesmo, seu sistema ou suas informações. Você não está permitindo que o navegador se atualize. E, qualquer conteúdo Flash que você usa ou reproduz nos tempos atuais está sujeito a vulnerabilidades, sem mencionar que o processo é técnico, difícil e demorado.

Você até pode suportá-lo para uso individual, mas certamente não pode submeter um usuário final a ele. Se você fizer isso, não espere boas taxas de engajamento. Se você quiser continuar usando suas soluções de eLearning que eram baseadas em Flash, a conversão de Flash para HTML5 é sua aposta mais segura.

HTML5 é melhor que Flash?

De muitas maneiras, sim! E essas são as maneiras que importam no cenário da Internet de hoje.

Um estudo comparativo de Flash vs. HTML5

1. Timing

  • Flash teve um timing épico
    Entre 1996 e 2000, o Flash foi a melhor escolha. O JavaScript tinha um suporte ruim e o HTML5 ainda não havia sido criado. Flash era a única tecnologia que permitia fácil criação, distribuição e consumo de multimídia online.
  • HTML veio muito mais tarde
    HTML5, a quinta maior versão HTML, foi lançada em 2008. Ele trouxe um comportamento de consumo de multimídia menos rígido, altamente compatível e avançado para usuários e desenvolvedores, deixando o Flash para trás.

2. Responsividade

  • Flash foi responsivo para o seu tempo
    Nós o chamávamos de “design líquido” naquela época. O Flash usou contêineres para fornecer design interativo por meio do plug-in do Flash player. Não importa o sistema operacional que você executava — Mac, Windows ou Linux — ou as proporções do seu desktop — 1024 × 768 ou 800 × 600 — o Flash oferecia uma experiência interativa quase semelhante. O problema era que ele não podia competir em telas largas e nunca chegou perto de se ajustar a navegadores móveis.
  • HTML5 trouxe a verdadeira responsividade para a mesa
    Ao contrário do Flash, a parte interativa do conteúdo criado em HTML5 faz parte do código. Qualquer código HTML5 contém programação para HTML, CSS e JavaScript. O elemento CSS permite que um desenvolvedor crie uma solução de eLearning que pode ser reproduzida em qualquer dispositivo, de qualquer resolução ou tamanho de tela, com a mesma sutileza. Qualquer navegador pode ler e carregar todas as páginas sem precisar de um plug-in externo.

3. Seu papel no streaming de vídeo online

  • Flash foi o primeiro a permitir streaming de vídeo
    O Flash player trouxe uma nova era de streaming de mídia. As soluções de eLearning da época usavam o Flash para integrar vídeos entre seus conteúdos. Por um bom tempo, o Flash foi a plataforma de facto para reproduzir vídeos online. O site de streaming de vídeo mais popular do mundo, o YouTube, usou o Flash player nos primeiros cinco anos, depois uma combinação de Flash e HTML5 pelos próximos cinco anos, antes de mudar completamente para HTML5.
  • As opções de streaming de vídeo HTML5 mudaram o jogo
    A tecnologia de reprodução de vídeo HTML5 abre toda uma gama de possibilidades, desde a reprodução de gravações online até a transmissão ao vivo. Ela permite que vídeos inteiros sejam reproduzidos de uma só vez, mas também pode reproduzir vários segmentos progressivamente ao mesmo tempo. Além disso, uma de suas características distintas é o streaming adaptável, escolhendo automaticamente a qualidade do vídeo com base na força da rede do usuário ou alterando o idioma do áudio do vídeo com base nas preferências do usuário.

4. Segurança

  • Flash operava em uma arquitetura insegura
    Flash sempre foi um pouco problemático. Em 2015, a Adobe corrigia falhas de segurança todos os meses. Em seu décimo nono ano de operação, o Adobe Flash precisava de 143 correções de bugs, algo do qual nenhum software maduro poderia se orgulhar. Como resultado, os usuários quase sempre operavam o Flash com uma estratégia defensiva para escapar de suas vulnerabilidades.
  • HTML5 foi criado com a segurança cibernética em mente
    A arquitetura do HTML5 permite o gerenciamento de riscos cibernéticos. É mais seguro do que qualquer código Flash, mas não totalmente imune a malware ou problemas de segurança. A diferença é que o HTML5 é mantido pelo World Wide Web Consortium (W3C). Seus vetores de ataque são regularmente estudados e as defesas preparadas para manter a experiência do usuário segura.

5. Amigável aos mecanismos de busca

  • Flash era totalmente hostil ao SEO (Search Engine Optimization)
    Flash e SEO não se misturavam bem! A interação do Flash com os web crawlers não funcionou da mesma forma que com as tags HTML. O Flash também não compartilhava informações da mesma maneira. Seu conteúdo textual foi estruturado de forma diferente e dificultou o registro direto pelos crawlers. Os links usados ​​no conteúdo Flash também não eram muito amigáveis ​​web crawlers.
  • HTML5 é muito compatível com SEO
    As tags HTML5 são críticas para navegar pelo conteúdo da web. Elas podem ser usadas ​​para abordar diretamente um mecanismo de pesquisa e informar sobre o que é um site ou página da Web, para quais categorias ele se qualifica e como deve ser classificado. Além do SEO, as tags HTML5 corretas também podem ajudar a melhorar a usabilidade do site e, portanto, a experiência do usuário.

É essencial entender o fator tempo em tudo isso. Flash era a necessidade do momento há duas décadas. HTML5 se tornou um pouco melhor, mas é assim que todas as tecnologias evoluem. Aqueles que não conseguem acompanhar são deixadas de lado eventualmente!

O HTML5 é mais seguro que o Flash?

Atualmente, sim, mas há um argumento nesta questão, e com razão. Flash operava de forma diferente. Era o “herói” óbvio em uma época em que uma experiência de conteúdo multimídia on-line uniforme era uma novidade. Portanto, embora o Flash tenha vindo com problemas de segurança, ele foi mantido por seu valor. Isso mudou quando:

  1. HTML entrou em cena.
  2. A demanda pelo Flash diminuiu.

HTML5 é uma recomendação do World Wide Web Consortium. Ele é mantido pelo Web Hypertext Application Technology Working Group – um consórcio apoiado pela Apple, Google, Mozilla e Microsoft. Ele foi criado com a segurança do usuário em mente. No entanto, é um alvo para ataques maliciosos tanto quanto o Flash foi. As únicas diferenças são que o HTML5 está mais preparado para enfrentar esses ataques do que o Flash e que o HTML5 carece de muitas vulnerabilidades que o Flash tinha.

Como será o futuro do aprendizado online com HTML5?

Parece que será confiável, eficiente, rápido, otimizado e seguro. Usar HTML5 em soluções de eLearning é lucrativo. É fácil de trabalhar, acessível de várias maneiras e com uma bela construção.

Mas não estamos falando apenas do desenvolvimento de HTML5. Também estamos falando sobre a conversão de Flash para HTML5 para conteúdo de treinamento online. Então, tendo em mente seu conteúdo herdado do Flash, e sem nenhuma alternativa viável para promover seu uso, como será o HTML5 para suas soluções de eLearning? Aqui estão alguns parâmetros para ajudá-lo a descobrir isso.

1. HTML5 é móvel

O Flash não conseguiu impressionar a crescente onda de usuários móveis na internet. O HTML5 foi direcionado a esse mesmo grupo com um design responsivo. Para soluções de eLearning, responsividade é acessibilidade. A migração de Flash para HTML5 para conteúdo de aprendizado online garantirá que sua base de usuários possa acessar o conteúdo de qualquer dispositivo, navegador, sistema ou tela.

2. Facilita o conteúdo criativo

O treinamento online requer o envolvimento de um público por qualquer meio disponível, seja desenhos improvisados, questionários, testes ou outros elementos. É por isso que transformar Flash em HTML5 para conteúdo de treinamento online é uma escolha adequada. Você pode criar players personalizados e transmitir áudio ou vídeo sem problemas. HTML5 Canvas permite que você crie animações ou elementos 2D/3D também. Essa flexibilidade permite converter seu conteúdo herdado do Flash e torná-lo melhor ao mesmo tempo.

3. Jogos interativos

A gamificação é uma ótima ferramenta para incentivar a participação e aumentar o engajamento. Histórias, competições, desafios baseados em capítulos, distintivos, recompensas e design visual atraente: jogos interativos tornam o eLearning mais interessante de várias maneiras. Com o HTML5, você pode criar experiências agradáveis ​​para os trainees, incluindo:

  • Testes cronometrados
  • Simulações
  • Testes baseados em cenários
  • Narrativa imersiva
  • Desafios

4. Sem barreiras linguísticas

O HTML5 facilita muito a localização e oferece suporte à distribuição de conteúdo entre regiões. Essa é outra vantagem de converter seu conteúdo de treinamento online de Flash para HTML5. Com HTML5, a extração e tradução de conteúdo é mais fácil. Sua estrutura de tags orientada por semântica leva a códigos limpos, o que, por sua vez, leva a um rastreamento mais fácil e a uma tradução mais limpa na web.

5. Codificação Simplificada

HTML5 permite a possibilidade de criar código limpo. É descritivo. É mais fácil de entender e segmentar. É consciente da estrutura. Ele permite que o código envolva mais funcionalidades em menos espaço. No geral, o HTML5 pode traduzir seu conteúdo herdado do Flash em soluções eficazes de eLearning sem compromissos e com vários aprimoramentos.

Por que os sites pararam de usar o Flash?

Muito antes de a Adobe encerrar o Flash para sempre, as empresas estavam mudando seu conteúdo para outras plataformas. Os motivos foram:

  • Steve Jobs baniu o suporte a Flash de todos os dispositivos da Apple em sua carta aberta ao Adobe Flash em 29 de abril de 2010.
  • O Flash não estava sincronizado com os algoritmos de rastreamento do mecanismo de pesquisa.
  • As preocupações de segurança em torno do Flash estavam se multiplicando a cada dia.
  • Era necessário um plug-in separado para reproduzir conteúdo baseado em Flash.
  • O conteúdo em Flash consumia muitos recursos do sistema.
  • Havia várias alternativas novas e melhores ao Flash.

Como funciona a conversão de Flash para HTML5?

O processo de conversão de Flash para HTML5 é bem conhecido. Afinal, foram anos de preparação.

Um guia de 8 etapas para converter Flash para HTML5 no aprendizado online

  1. Reúna os arquivos de origem do seu conteúdo herdado do Flash.
  2. Desintegre e separe o curso em texto e elementos de mídia.
  3. Encontre uma ferramenta de autoria de sua escolha.
  4. Crie elementos interativos para serem usados ​​na solução de eLearning transformada.
  5. Crie uma estratégia para traduzir cada segmento do conteúdo para o novo formato.
  6. Inicie a transformação, passando por segmentos, e converta-os de acordo com a estratégia.
  7. Teste a solução convertida para desempenho e confiabilidade.
  8. Libere as soluções de eLearning migradas para os usuários.

Surge a questão: como encontrar as ferramentas necessárias para este processo? Você pode escolher entre uma ampla gama de opções disponíveis online.

  • Articulate Storyline
  • Lectora Inspire Conversion Suite
  • Adobe Captivate
  • Adapt Learning
  • iSpring Tools
  • Zenler Studio
  • Elucidat
  • Raptivity
  • dominKnow
  • Easygenerator
  • Gomo
  • Composica

HTML5 é o presente e o futuro das soluções de eLearning: prepare-se adequadamente

O Flash definiu a magia da internet e da world wide web para muitos de nós. Foi a base sobre a qual muitas empresas construíram impérios de milhões de dólares. Deixá-lo de lado nunca seria fácil, mas agora você precisa! Converter seus cursos de treinamento online de Flash para HTML5 não é mais apenas uma opção conveniente. É a escolha que você deve fazer se quiser manter suas soluções de eLearning em funcionamento.

Fonte: https://elearningindustry.com/why-migrating-flash-to-html5-for-online-learning-is-the-right-decision

Para diminuir a distância entre a sua gestão e os seus resultados efetivos,
a Raleduc oferece serviços para EAD que se diferenciam
pela qualidade de seus conteúdos, pela eficiência das metodologias de ensino, pelo uso de tecnologias modernas de aplicação e monitoramento, pela criatividade gráfico-editorial e pela economicidade de tempo
e operacionalidade.

E também somos representantes exclusivos da Udemy Business no Brasil.

Se você quiser saber mais sobre como a Raleduc pode ajudar você a melhorar seus treinamentos online e montar uma estratégia EAD para a sua empresa, não deixe de falar com nossos especialistas clicando aqui, pelo telefone +55 61 3051 1366 ou manda um WhatsApp.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.