11 principais erros cometidos no eLearning corporativo

Tempo de leitura: 8 minutos

O treinamento corporativo oferecido em uma plataforma de eLearning nunca foi tão popular. Evite algumas das armadilhas mais comuns na criação de programas de eLearning para treinamento de colaboradores ou parceiros.

Fonte: Freepik

Evite esses erros comuns no eLearning corporativo

A tecnologia digital introduziu um novo conceito e um estilo único que se estende muito além dos limites da sala de aula e afeta todos os aspectos da vida. Desenvolvimentos recentes prometem que a tecnologia terá um papel ainda maior nos próximos anos.

Embora o eLearning não seja mais novidade em termos de compartilhamento de informações, aulas acadêmicas ou treinamento corporativo, sua disponibilidade e aceitação não garante necessariamente que todo eLearning seja igualmente eficaz.

Não há dúvida de que as pessoas têm estilos de aprendizagem individualizados.

É bem documentado que algumas pessoas respondem à palavra falada, enquanto outras são visualmente orientadas e aprendem melhor por meio da experiência sensorial. Outros são práticos e experienciais e, ainda, alguns precisam de reforço por meio de dois ou mais métodos para reter ideias e digerir informações.

Mas, seja qual for o estilo de aprendizagem ideal, há evidências crescentes de que o eLearning se consolidará em uma extensão ainda maior do que está sendo empregado agora, especialmente no mundo corporativo.

Com isso em mente, identifiquei algumas armadilhas que podem contribuir para uma experiência de treinamento virtual nada bem-sucedida. Aqui estão o que considero os 11 principais erros corporativos cometidos em programas corporativos de eLearning e algumas sugestões sobre como corrigi-los:

1. Julgar mal o público

Assim como você deve identificar o público-alvo se estiver escrevendo um livro, desenvolvendo um novo automóvel ou projetando uma embalagem de cereal, você deve saber os dados demográficos e a mentalidade de seu público.

O seu público é composto por pessoal administrativo? Eles conhecem e entendem os termos técnicos que você usará? Você está tratando de novos contratados corporativos ansiosos para aprender o básico e trabalhar? Eles apreciarão uma abordagem casual? Avalie seu público com antecedência e adapte seu treinamento às necessidades dele.

2. Ser irrelevante

Os tempos mudam. A motivação muda. Novas ideias se instalam e, mesmo nos campos técnicos, novos avanços alteram as percepções e as formas de fazer negócios. No mundo atual, a mudança vem veloz e furiosa e às vezes é difícil de acompanhar. É vital fornecer ao participante e à organização treinamento oportuno e imediatamente acionável.

Se você é o designer do treinamento, se esforce para ficar à frente da curva. Todos os envolvidos colherão os benefícios.

3. Não criar desafios

O objetivo de qualquer instrutor deve ser desafiar o aluno, o que é verdade tanto no treinamento corporativo quanto nas séries primárias ou pós-graduação. Quizzes rápidos são ótimos – especialmente com o aprendizado online – mas não os torne muito fáceis.

Se seus participantes não forem desafiados a pensar, eles não serão encorajados a prestar atenção e terão menos probabilidade de reter as informações que você está lhes dando. Se você usar quizzes, torne-os significativos e desafiadores.

4. Perder o objetivo de vista

Os objetivos básicos de todo treinamento corporativo são expandir o conhecimento, aumentar a compreensão e o desempenho, melhorar as habilidades e contribuir para o sucesso futuro de cada participante. Se o seu conteúdo não atinge a maioria ou todos esses objetivos, o treinamento pode ser considerado ineficaz.

Visualize qualquer treinamento sob o ponte de vista de um plano corporativo para melhoria de habilidades; refaça qualquer treinamento que falhe.

5. Sobrecarregar o participante

Esteja preparado e siga as mensagens-chave, normalmente não mais do que cinco, que você identificou para o seu treinamento. Evite uma abordagem muito abrangente. Se você oferecer muitas informações na esperança de que elas valham a pena para cada participante de uma maneira diferente, é provável que você e eles fiquem desapontados.

Como na maioria das coisas, é melhor deixar seus participantes querendo voltar para mais do que mandá-los embora com “dores de cabeça” e muitas ideias para digerir.

6. Perder o foco da mensagem

Quando você cria conteúdo de treinamento, o Design Instrucional deve alinhar o conteúdo com as mensagens principais. Essamensagem chave deve estar alinhada com a realidade do participante.

Certifique-se de incluir:

  • Processos e procedimentos necessários;
  • Dados técnicos quando é importante;
  • Recursos que os participantes podem acessar, baixar e imprimir para referência posterior;
  • Fontes ao citar estatísticas ou conceitos teóricos.

Quando as mensagens do eLearning são muito amplas ou fogem do tópico, os participantes podem ficar confusos ou desinteressados.

7. Colocar muito “você” em sua apresentação

Embora você possa ser um especialista em sua área, esteja ciente de que seus participantes provavelmente não o são. Conforme mencionado no início deste artigo, esteja ciente do nível de conhecimento e estilos de aprendizagem dos participantes.

Todos absorvem as informações de maneira diferente, e você deve resistir a projetar módulos de treinamento apenas de acordo com o seu estilo preferido. Em vez disso, incorpore uma mistura de mídia que abranja vários estilos de aprendizagem. Isso pode incluir PDFs, artigos, vídeos e gamificação.

8. Esquecer do investimento financeiro

Embora o eLearning possa ser mais econômico do que programas de treinamento presenciais, ele ainda requer o suporte e a compreensão de gerência de alto nível. Esse é um lado da moeda, independente de ser parte de um esforço educacional interno ou direcionado a pessoas de fora.

O compromisso financeiro não é irrelevante e todos os envolvidos devem esperar um retorno desse investimento. Então, quer o eLearning seja obrigatório ou voluntário, cada participante precisa se comprometer totalmente com o treinamento.

9. Ser desorganizado ou despreparado

Nada entendiará mais seus alunos digitais do que o treinamento preparado de forma aleatória ou o equipamento que não funciona corretamente durante apresentações ao vivo como webinars. Entenda que o tempo é valioso para todos os envolvidos.

Certifique-se de que seu conteúdo de treinamento esteja correto. Siga um cronograma: se for uma apresentação ao vivo, teste o equipamento com antecedência, organize suas anotações e inicie o assunto com o mínimo de preâmbulos possível. Você está proporcionando uma experiência de aprendizado, então esteja preparado e seja profissional.

10. Não validar o conteúdo

A menos que você seja o único especialista no assunto em questão, é essencial que pessoas experientes revisem o conteúdo e ofereçam feedback. Uma segunda opinião é sempre útil para resolver inconsistências e reforçar ideias-chave.

Se houver potencial para interpretação ou aplicação incorreta, ou se uma validação de produto estiver envolvida, procure uma opinião jurídica ou o conselho de um especialista reconhecido.

11. Supor que o material está correto e atual

É crucial entregar material que seja atual ou ainda aplicável. Embora haja conteúdo perene, TODO o conteúdo geralmente não é perene. Antes de iniciar uma campanha de treinamento, revise o material para garantir que ele seja atual e relevante. Se o módulo de treinamento tiver uma data de validade, verifique os dados e informações nele contidos para garantir que nenhuma atualização seja necessária.

No caso de programas contínuos, pode ser aconselhável instituir uma política de revisão para todos os materiais de treinamento. Atualize e refaça os materiais regularmente para manter a apresentação nova e atraente. Sempre faça mudanças que reflitam novas descobertas em seu campo e tendências recentes do mercado.

Bônus – Adicione um pouco de diversão

Embora o treinamento corporativo seja um negócio sério, certifique-se de incluir elementos de diversão ao longo do caminho. Fazer isso é uma forma comprovada de ajudar os alunos a reter a mensagem. Competições em equipe, desenhos, emblemas e prêmios são alguns exemplos de componentes divertidos que podem reforçar sua mensagem e manter os participantes engajados.

Enfrente os erros de cabeça erguida

Nenhum programa de eLearning está imune a erros. Mas quando acontecerem, aprenda com eles e incorpore medidas para evitar que aconteçam no futuro. Use-os para melhorar seu programa de treinamento. Incentive o feedback de seus participantes e de sua equipe de design para minimizar erros e maximizar o aprendizado.

Fonte: https://elearningindustry.com/top-corporate-mistakes-made-in-elearning

Para diminuir a distância entre a sua gestão e os seus resultados efetivos, a Raleduc oferece recursos com serviços para EAD que se diferenciam pela qualidade de seus conteúdos, pela eficiência das metodologias de ensino, pelo uso de tecnologias modernas de aplicação e monitoramento, pela criatividade gráfico-editorial e pela economicidade de tempo e operacionalidade.

[contact-form to=”rafael@raleduc.com.br” subject=”Contato interno do blog”]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.