Como treinar mais colaboradores com menos verba?

Tempo de leitura: 6 minutos

Atualmente, diante da alta competitividade entre empresas, investir em treinamento corporativo é a chave para se conseguir um patamar de destaque em meio a concorrentes que buscam atualizar seus aparatos tecnológicos e recursos humanos cada vez mais rapidamente.

Assim, se existem boas razões para investir no treinamento de seus colaboradores, as principais são: a constante lapidação profissional do funcionário e a ampliação da visão de mundo deste colaborador. Isso significa que a busca por melhorias é constante, assim como galgar degraus de conhecimentos e habilidades. Além de qualificar os colaboradores, eles se sentirão mais engajados aos ideais da empresa e serão motivados a crescer cada vez mais. A consequência imediata é: impulsionar a empresa a desenvolver estratégias de melhorias em diversos aspectos, como produtividade, retenção, atendimento aos prazos, fidelização de clientes, clima organizacional, entre outros.

Sob a ótica da empresa, já se sabe que investir em treinamentos constantes é mais do que uma regalia organizacional, é algo obrigatório, caso o objetivo seja estar no páreo da concorrência. Entretanto, pouco se fala sobre o ponto de vista de quem está do lado de lá, isto é, do colaborador. Os treinamentos corporativos devem estar sempre associados à retenção de talentos, e o indivíduo que almeja uma vaga dentro de determinada organização, analisa as propostas de emprego recebidas através do aprendizado e das possibilidades de ascensão oferecidos a ele. Equipes que passam por treinamentos eficazes, engajam-se mais em relação aos objetivos da empresa, especialmente se tais treinamentos têm caráter de personalização, com características especiais a cada grupo de colaboradores com capacidades exclusivas.

É olhando para esse panorama empresarial, que os treinamentos on-line começaram a ganhar muito espaço em pouquíssimo tempo, tanto em pequenas quanto em médias e grandes empresas. E o motivo não é segredo para ninguém: custos reduzidos e produtividade maior. Diferentemente dos treinamentos presenciais, os treinamentos on-line dispensam uma série de fatores, como: espaço físico para realização; valor de transporte dos recursos humanos; hospedagem dos colabores que vêm de fora da cidade (no caso de filiais); entre outros.

Motivos que Justificam o Investimento em Treinamentos On-Line

Através de plataformas educacionais, é possível desenvolver conteúdos extremamente ricos através do uso de diversas ferramentas, conseguindo, assim, engajar mais o colaborador.

Veja a seguir alguns motivos que mostram as vantagens dos treinamentos on-line em relação aos treinamentos presenciais.

– Flexibilidade de horário

O conteúdo do curso estará disponível quando o cursista quiser. Ou seja, ele pode acessar o conteúdo no local, horário e com a ferramenta que desejar. Claramente, a vantagem é que, com a possibilidade de escolher quando estudar, o colaborador vai estar mais disposto a absorver aquilo que ele está estudando. Dessa forma, a aprendizagem é mais rápida e eficaz.

– Ritmo único de aprendizado

Ao contrário dos treinamentos presenciais, nos quais todos os alunos têm de seguir um mesmo ritmo de estudos, no treinamento on-line isso não acontece. O colaborador pode se adequar ao ritmo que mais lhe convier, desde que todas as atividades sejam efetivamente cumpridas até o fim do curso.

– Materiais on-line

Não faz muito sentido oferecer ao colaborador um material de estudos físico, enquanto o treinamento é feito de maneira virtual. Ou seja, o material desenvolvido ou selecionado pelos conteudistas é 100% on-line. Dessa forma, é possível disponibilizar facilmente materiais de todos os tipos, tais como textos, apostilas, manuais, infográficos, mapas mentais, entre outras opções, que variam conforme objetivo do treinamento e perfil do público-alvo.

– Ferramentas interativas

Uma grande sacada é investir no uso de ferramentas interativas que instigam o aluno na busca por saber cada vez mais sobre o conteúdo que ele esteja estudando, tais como exercícios e desafios relacionados ao dia a dia dele em âmbito corporativo. A partir disso, é possível prender muito mais a atenção do colaborador do que atividades que fujam totalmente do cenário de atuação dele.

– Estrutura física zero

Diferentemente dos treinamentos presenciais, em que é necessário disponibilizar ambientes físicos, equipamentos e conforto dos participantes para a realização das aulas, os treinamentos on-line não exigem que o colaborador esteja em nenhum local específico, mas apenas que ele tenha um dispositivo com acesso à internet em mãos. Frequentemente, as reuniões de uma empresa têm que ser realizadas dentro dela própria, em horário comercial. Ou seja, a perda de tempo e queda do rendimento das atividades, nos dias de reunião, são muito grandes.

– Metodologias de ensino variadas

Através da plataforma educacional, o conteudista tem a possibilidade de estruturar seu material de curso sob metodologias muito distintas, tais como narrativas textuais, videoaulas, webconferências, jogos digitais, infografia, entre outras infinitas possibilidades. Esse conteúdo pode ser adequado conforme as características e facilidades dos cursistas.

– Atividades e exercícios

A aplicação de atividade e exercícios com periodicidade permite ao conteudista avaliar sempre mais, além de oferecer panorama mais amplo com relação ao desenvolvimento do colaborador em dado curso.

– Rápida atualização

Sempre que o conteudista achar que existe necessidade de modificar alguns aspectos do curso – para atualização ou personalização das aulas –, ele pode fazer isso de forma bastante rápida e eficaz.

– Personalização do ensino

A personalização do ensino também é possível nos cursos presenciais, mas a facilidade de se personalizar cursos através de ferramentas virtuais é incomparável entre as duas modalidades. Essa adaptação pessoal considerando o perfil dos cursistas visa a fazer com que eles se identifiquem mais com o material e, consequentemente, engajem-se mais com o estudo.

Concluindo…

Diante desse cenário, em que é possível treinar mais colaboradores on-line economizando, é possível perceber que, além do conteúdo ser complemente virtual, o cursista desenvolve suas habilidades autoinstricionais. Em uma realidade de rotina corrida e inconstante, a necessidade de se aprender sozinho tornou-se uma necessidade. Assim, a modalidade de cursos a distância não só instiga o autodidatismo, mas atende a obrigação do cursista de saber gerenciar a si mesmo, sob uma disciplina que o fará concluir o curso com sucesso.

Portanto, na realidade tecnológica de hoje, um notebook, um tablet ou smartphone sempre estão perto de nós, ocupando posição imprescindível. Se antes era preciso ensinar o cursista a compreender as ferramentas que eram responsáveis pelo ensino, hoje, um tutorial básico sobre a plataforma a ser utilizada já é o suficiente para o conteudista prosseguir em seus estudos com o curso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *